• NEWS

PARA CUSTAR R$ 100 MIL, TOYOTA COROLLA GLI DESCARTA EQUIPAMENTOS E PARECE UM CARRO DE FROTA

Embora deva alguns itens, modelo de entrada da nova geração do sedã convence na mecânica e no comportamento dinâmico, mas peca e muito em acabamento.

O preço de um carro é uma variável difícil. Como empacotar? No caso do novo Corolla, a Toyota enxugou a lista de equipamentos para chegar aos R$ 99.990 pedidos no básico GLi. Era essencial ter um bom preço de saída no lançamento, e o Corolla precisava de uma opção na faixa de R$ 100 mil para atrair o público geral e atender a nichos, como o PCD.

Só que o Corolla evoluiu. É um produto bem mais sofisticado que o anterior em vários aspectos. O sedã subiu de nível em acabamento, engenharia, materiais e mecânica. Tudo é novo no modelo, desde a plataforma modular (60% mais rígida) à suspensão traseira independente por braços duplos, ou o motor 2.0 Dynamic Force de até 177 cv.



Com tantas mudanças, era natural encarecer. O GLi anterior custava R$ 90.990 e usava motor 1.8 flex (até 144 cv e 18,4 kgfm). O jeito foi subtrair do novo GLi 2.0 tudo o que é “supérfluo”.

O ar-condicionado é manual e tem comandos dignos de carro de entrada. Não há chave presencial, nem retrovisor eletrocrômico e o couro nos bancos é parcial. O volante é mais simples, sem paddle-shifts e comandos do controle de cruzeiro, e não há faróis de neblina.



Mas é justo reconhecer que a Toyota cortou coisas que talvez não façam tanta falta. Tirando os equipamentos, o GLi é igual ao campeão de vendas XEi, que custa R$ 110.990. O interior mantém o padrão de acabamento — a parte superior do painel é toda macia ao toque, os novos bancos dianteiros abraçam bem e a ergonomia deu um salto enorme.

Com os 2,70 metros de entre-eixos, o espaço para cinco pessoas é um dos melhores da classe, no que ajuda o túnel central baixo. E o porta-malas de 470 litros pode não ser o maior, porém comporta bem a bagagem de todos.

A nova arquitetura da filosofia TNGA permitiu baixar o centro de gravidade e o ponto H (encaixe do quadril) dos bancos dianteiros, ambos em um centímetro. Ao mesmo tempo, a altura em relação ao solo foi ligeiramente elevada. E, com o esquema de suspensão traseira em duplo A, o comportamento dinâmico é outro. Na prática, o novo Corolla está afiado, mas não vale 100 mil? Deixe sua opinião!



59 visualizações0 comentário